Você sabia que existe mais de um tipo de garantia locatária?
  • contato@imoveisribeiraopreto.com.br
clique para ativar o zoom
Carregando Mapas
Carregando Mapas Aguarde...
Nós não encontramos nenhum resultado
mapa aberto
Vista Mapa das Estradas Satélite Híbrido Terreno Marcar Minha Localização Ver Mapa em Tela Cheia Anterior Próximo
Street View
Mais opções de busca
Mais opções de busca
Mais opções de busca
Mais opções de busca
Mais opções de busca
Encontramos 0 resultados. Você quer carregar os resultados agora?
Pesquisa Avançada
Mais opções de busca
encontramos 0 resultados
Resultados da sua pesquisa

Você sabia que existe mais de um tipo de garantia locatária?

Postado por Webtrends Web em 16/05/2019
| 0

O contrato de locação de imóvel é algo com muitas variáveis, uma vez que pode haver clausulas diferentes e muito específicas dependendo do negócio que se está fazendo entre as partes.

Sendo assim, o contrato é variável em termos de clausulas e acordos, no entanto, carregam uma semelhança em comum: uma garantia de que o locador não terá prejuízos. Está medida visa proteger as duas partes em situações recorrentes.

Mas você sabia que existe mais de um tipo de garantia locatária? Caso queira conhece-las e ampliar suas possibilidades, continue lendo este post!

 

Apresentando os tipos de garantia locatária

Como foi mencionado anteriormente, a garantia é uma segurança para que nenhuma das partes tenham problemas ou conflitos caso o aluguel não seja pago.

Desta maneira, tanto o locador quanto o locatário terão a disposição 3 tipos de garantia locatária para escolherem qual irá reger o contrato. Sendo elas:

– Caução;

– Indicação de Fiadores;

– Seguro de fiança locatícia;

 

Caução

O caução (ou depósito em garantia como também é conhecido) é a modalidade de garantia locatária menos aceita entre os negócios que são feitos. Ttata-se basicamente de um depósito de um montante equivalente a três meses de aluguel.

Em muitos dos casos, o que ocorre é que o locatário apenas deposita este valor na conta do locatário, no entanto, esta não é a melhor prática neste modelo de garantia.

Recomenda-se que o dinheiro seja depositado em uma conta poupança (podendo ser do locador ou das duas partes), de forma que o locatário possa pedir extratos ao longo do tempo de contrato. Assim o dinheiro ficará seguro e haverá a correção monetária e rendimentos da poupança.

Ao final do contrato este dinheiro poderá ser resgatado pelo inquilino, caso este não tenha nenhum reparo pendente no imóvel ou dívidas.

 

Indicação de Fiadores

Apesar de ser a modalidade mais usada nos contratos de aluguel de imóveis, encontrar um fiador não é uma tarefa simples, uma vez que este irá assumir a obrigação de pagar os alugueis caso o inquilino não pague.

Além disso, há dois requisitos indispensáveis que o fiador deve cumprir para que o negócio seja validado. São estes requisitos:

– Não constar em cadastros do SPC e SERASA;

– Possuir um imóvel quitado na mesma cidade em que o locatário deseja alugar o imóvel.

No entanto, não é fácil encontrar um fiador que preencha estes requisitos e também esteja disposto a assumir uma conta inesperada e que pode vir a colocar em risco o seu patrimônio, caso a dívida não seja paga e este se vê obrigada a leiloar seu imóvel.

 

Seguro de fiança locatária

O seguro fiança – ou como também é conhecido seguro aluguel – é a segunda opção mais aceita entre os contratos de locação de imóvel e também, a mais segura para o locador.

Esta modalidade de garantia refere-se a um seguro contratado para formalizar a garantia do imóvel alugado, ou seja, ela dependerá de uma seguradora.

Devido a sua segurança, ela vem sendo uma prática cada vez mais adotada entre as partes, porém, é um pouco custosa para o inquilino.

O seguro aluguel é a modalidade em que o inquilino paga o aluguel e o seguro contratado como garantia, de modo que caso o locatário não pague o aluguel, o seguro entra em ação.

É uma ótima opção para quem não quer depender de fiador, no entanto, deve-se ter em mente que terá um custo maior por essa escolha. Há casos em que o valor do seguro chega a 3% do valor anual da locação.

Além disso, para que o locatário consiga o seguro fiança, ele precisará comprovar renda fixa capaz de manter o pagamento do aluguel e seguro e ter crédito aprovado.

 

Você conhecia todas essas opções de garantia locatária? Tem alguma que prefira mais do que outra? Conta para nós nos comentários!

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.